Hoje a Casa da Cultura do Recife recebe Ato e Aula Pública em Memória do Movimento Feminino Pela Anistia


Homenagem ao Movimento Feminino Pela Anistia e às lutas das mulheres durante a ditadura no Brasil (1964-1985)

Hoje a Casa da Cultura do Recife recebe o Ato e Aula Pública em Memória do Movimento Feminino Pela Anistia, a partir das 17hs, num momento que se faz necessário resgatar e preservar memórias , para que jovens militantes fiquem em plena sintonia com a história recente do Brasil e que acontecimentos, como a Ditadura Militar, não caiam em esquecimento. Na ocasião também haverá a encenação da peça Retratos de Chumbo, com o Grupo Teatral João Teimoso.


Espetáculo "Retratos de Chumbo", com o Grupo de Teatro João Teimoso

No dia 28 de Agosto, como já é do conhecimento público, todos os anos a Associação Pernambucana de Anistiados Políticos - APAP, em nome do Fórum da Anistia em Pernambuco, faz um ato em homenagem ao Movimento Feminino Pela Anistia, bem como a todas as mulheres que resistiram ao estado de exceção (1964-1985).

Naíde Teodósio


Neste ano o movimento presta uma singela homenagem póstuma a Naíde Regueira Teodósio (06/06/1915 – 17/04/2005), professora, médica e nutrológa, perseguida e presa política, na Casa de Detenção do Recife, durante seis anos pela ditadura civil-militar, o que também lhe rendeu aposentadoria compulsória, sem que fosse considerada sua biografia de dedicação humanista no combate à fome e as desigualdades sociais.

Também serão reverenciadas outras duas companheiras, Maria José do Amaral e Vera Regina Paula Baroni. Ambas advogadas, a primeira é uma incansável defensora dos trabalhadores e movimentos sociais populares em Pernambuco, integrou a Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Pernambuco (OAB-PE), além de compor a Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo), é atualmente Conselheira efetiva na Subseccional de Jaboatão dos Guararapes. Já a segunda (Vera Baroni) foi uma militante da antiga JOC (Juventude Operária Católica), na década de 1960, e do movimento sindical no período de abertura política, além de militante histórica da luta feminista e do povo negro em Pernambuco.

Casa da Cultura do Recife
Rua Floriano Peixoto
Tel. 4002.8922

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artistas Digitais: Laís Xavier

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

Mais de 260 filmes Pernambucanos gratuitos para assistir em casa