SITE MULHERES QUE TECEM PERNAMBUCO GANHA NOVA EDIÇÃO

 

Artesã Katia Milene_foto Laura Melo

Bordado e crochê produzido por elas ganham registro

em texto, foto e vídeo em pesquisa incentivada pelo Funcultura 

a ser lançada na quarta-feira (2), às 15h


Em respeito às medidas sanitárias preventivas contra o novo coronavírus, o site Mulheres que Tecem Pernambuco, incentivado pelo Funcultura, ganha lançamento virtual na próxima quarta (2) e sexta-feira (4), sempre às 15h, no canal do projeto no YouTube onde serão transmitidas duas lives-debate. Para esta segunda edição, foram mapeados os municípios de Macaparana, na zona da mata norte, e Passira, no agreste pernambucano, com personagens e suas narrativas registradas em texto, vídeo e fotos. 

Enquanto a primeira recebeu o título de “capital estadual do crochê”, a segunda é conhecida como “a terra do bordado manual”. Clara Nogueira, coordenadora e pesquisadora da pesquisa cultural, conta que a ideia inicial era apresentar as histórias por trás desses títulos: “chegamos e encontramos algumas dessas fazedoras de cidade, como eu as chamo. Felizmente, conhecemos e conversamos com elas que fizeram e sustentam esses títulos”.

Maria da Paz, Clara, Lucyana Lira e Laura Melo

A primeira live-debate, na quarta (2), às 15h, se trata de um bate-papo com a equipe que esteve em campo nesta edição, formada por Laura Melo (fotógrafa e videomaker), Clarissa Machado (artista visual e pesquisadora), Lucyana Azevedo (pesquisadora), Rose Lima (produtora executiva), Laura Morgado (designer) e Célia Menezes (webdesigner) e Clara Nogueira, também idealizadora do projeto realizado pela Linhas de Fuga e Experimento Produções. “Algumas das mulheres da equipe também têm envolvimento com a linguagem têxtil como poética”, conta Clara, “e esse enlace entre suas funções no projeto e seus projetos pessoais com os têxteis trouxeram pro resultado da pesquisa um diálogo importante.”

Em nova leva de entrevistas com mulheres artesãs do município de Passira e Macaparana, os textos presentes na plataforma virtual contam um pouco sobre a vida dessas personagens, bem como suas práticas de crochê e bordado, além de trazer um pouco da história dessas cidades a partir de suas narrativas. Uma das histórias é a da macaparanense Kátia Milene: “eu achei interessante o projeto Mulheres que Tecem Pernambuco pelo fato de dar importância ao processo criativo do artesanato. Digamos que aqui, na região onde a gente mora, a gente não tem a devida visibilidade. O trabalho vai embora. E muita gente que compra e que recebe não sabe nem a pessoa que fez. Achei ótimo as meninas terem esse cuidado de fazer foto, vídeo, registrar as nossas falas”, diz ela, que participa também da live da sexta (4), também às 15h, com a passirense Lúcia, em conversa mediada por Clara. 

Dona Lucia Firmino_foto Laura Melo

Assim como no primeiro ano do projeto, quando foram publicadas as narrativas políticas e criativas das Mulheres que Tecem Pernambuco nos municípios de Lagoa do Carro, Poção e Tacaratu, no ar desde 2018 no endereço www.mulheresquetecempe.com.br, em 2020 outras treze mulheres das localidades de Macaparana e Passira têm as suas falas amplificadas, em primeira pessoa, totalizando assim 31 mulheres contempladas desde a primeira edição do projeto em 2018.

SERVIÇO

Lives de lançamento do site Mulheres Que Tecem Pernambuco:

  • LANÇAMENTO 2ª EDIÇÃO MULHERES QUE TECEM PE, com a equipe: Laura Melo, Clarissa Machado, Lucyana Azevedo, Rose Lima, Laura Morgado, Célia Menezes e Clara Nogueira. Mediação: Kalor. Quarta-feira (2), às 15h 

  • CONVERSA COM AS MULHERES QUE TECEM: D. Lúcia Firmino (Passira) e Katia Milene (Macaparana). Mediação: Clara Nogueira. Quinta-feira (4), às 15h.

Endereço:   

https://www.youtube.com/channel/UCPD5DjVeWBQV0t4q1doNQ_w

Gratuita



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FESTIVAL DE TEATRO DE IGARASSU ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS

“CONFISSÕES URBANAS” UM EXPERIMENTO CÊNICO DIGITAL

ACÚSTICO IMAGINAR