Jonathas de Andrade leva sua “Caravana” ao Sesc Ler Goiana

Mostra será inaugurada no Sesc da cidade situada na Região Metropolitana do Recife no dia 12 de março, nesta quinta, às 19h, com visita guiada pelo artista

Jonathas de Andrade leva sua exposição “Caravana Museu do Homem do Nordeste” a mais um destino a partir desta quinta-feira (12 de março), às 19h, com visita guiada pelo artista. Desta vez, é a cidade de Goiana, a 62 quilômetros do Recife, que irá abrigar a mostra do artista visual e fotógrafo nordestino. Uma das novidades é que as obras estarão espalhadas pelos ambientes do Sesc Ler Goiana, incluindo duas salas que ficam dentro do Museu de Arte Sacra, que também funciona no local. A expografia é assinada pelo arquiteto Marcelo Rosenbaum e por Natália Paes, que visitaram o espaço em fevereiro, para pensar a disposição dos mais de 10 trabalhos de Jonathas contidos na mostra, para melhor apreciação e entendimento pelos visitantes.
A proposta é colocar os “Cartazes do Museu do Homem do Nordeste”, reproduzidos em tecido, no pátio central, entre as árvores, e as camisetas de papelão de “Suar a Camisa”, em interação com o acervo do Museu de Arte Sacra. Já outras obras, intituladas “Educação para Adultos” e “ABC da Cana”, ficarão dispostas entre os corredores. Além de imagens em lona vinílica adesiva, semelhantes a cartazes de lambe-lambe, espalhadas por todo o Sesc Ler Goiana. O criador alagoano, radicado em Pernambuco e com carreira em ascensão fora do Brasil, buscou - através deste projeto de itinerância com incentivo do Fundo Estadual de Incentivo à Cultura (Funcultura) que terá sua última etapa em Goiana - ganhar mais visibilidade e poder mostrar suas ideias ao público do interior do Estado. A exposição “Caravana Museu do Homem do Nordeste” já passou por Petrolina, a partir de agosto de 2019, e chegou a Garanhuns, entre novembro e fevereiro, sempre nas unidades do Sesc estadual.
A agenda do artista para 2020 não para. Em 31 de Março, Jonathas de Andrade inaugura uma individual na Galeria Vermelho, em São Paulo, com obras inéditas e outras já conhecidas. No mês seguinte, parte para uma residência nas Filipinas. Em Julho, serão dois momentos importantes, ambos em Paris, na França, ao compor a seleção de exposições coletivas em espaços dedicados à arte contemporânea: a primeira no Centro Georges Pompidou, com o trabalho “40 Nego Bom é 1 real”, que foi adquirido para a coleção do museu, e a outra no Palais de Tokyo, com “Suar a Camisa”.  Em outubro, é a vez de exposição individual no museu de Fotografia Foam, em Amsterdam, na Holanda. No ano passado, também esteve no Canadá e na Turquia, a convite de duas bienais. Também lançou o filme “Jogos Dirigidos”, que traz como protagonistas jovens surdos da comunidade de Várzea Queimada, no Piauí, que são atendidos em projeto multidisciplinar de preservação do artesanato pelo Instituto A Gente Transforma, de Marcelo Rosenbaum. O filme, que foi exibido recentemente na Berlinale, no Festival de Berlim, na Alemanha, foi premiado como destaque na Mostra Cine Esquema Novo – Arte Audiovisual Brasileira, em Porto Alegre (RS).
    Sobre a mostra: dois museus com um mesmo nome
       A “Caravana Museu do Homem do Nordeste” ganhou este nome a partir do momento em que Jonathas de Andrade se apropriou do título do museu existente no Recife (e que em 2019 comemora os 40 anos de sua criação) e começou a reunir seus projetos em torno de aspectos da cultura nordestina como se fosse um outro possível museu, o Museu do Homem do Nordeste. Em 2013, na Galeria Vermelho, em São Paulo, o artista reuniu uma serigrafia de Aloisio Magalhães, emprestada pelo Museu do Homem do Nordeste, e a fachada da galeria, também transformada em uma obra, além de três trabalhos: as instalações “Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste”, “40 Nego Bom é 1 real”, e “O Levante”. A cada nova montagem, outros projetos de pesquisa foram sendo acrescentados por ele até chegar à exposição, inaugurada em dezembro de 2014, no Museu de Arte do Rio – MAR, com curadoria de Clarissa Diniz e Paulo Herkenhoff. Contradições e perversidades históricas da sociedade brasileira são reveladas por Jonathas neste trabalho em que o artista realiza um projeto político tocante, expressando “a urgência das ruas e indagando o lugar de uma revolução popular utópica mas possível de ser reivindicada”, como publicado no jornal “O Globo”, ao citar as melhores exposições daquele ano.

   Sobre as obras
Questões de raça e classe, as disputas de poderes, as tensões sociais elencadas por Gilberto Freyre são revistas e reinterpretadas pelo olhar de Jonathas de Andrade em suas obras, a exemplo da “1ª Corrida de Carroças do Centro do Recife/O Levante” (2012-2014), que mostra uma corrida de carroças organizada pelo próprio artista junto aos carroceiros pelo Centro da capital pernambucana, à época em que este tipo de transporte estava sendo proibido; e o “ABC da Cana”, que mostra cortadores de cana montando um alfabeto com seus corpos e foices. Este abecedário tomou por inspiração desenhos tipográficos de Luís Jardim, em projeto gráfico para a revista “Brasil Açucareiro”, de 1957.   Já “Cartazes para o Museu do Homem do Nordeste” será exibido em formato inédito no Brasil, em tecido, assim como foram apresentados na Bienal de Dakar, no Senegal, criando nova estética para o projeto. Outra obra artística relevante na carreira do artista é o vídeo “O Peixe”(2016), que estreou na Bienal de São Paulo, e suscita vastas emoções no público, ao acompanhar um pescador em seu ritual de abraçar um peixe, unindo afeto, solidariedade e violência. As relações de trabalho que persistem desde os tempos coloniais no país estão em “40 nego bom é um real”, que traz a receita do doce enquanto nos conta histórias reais e fictícias, mostrando as complexas relações de trabalho envolvendo os 40 personagens de uma fábrica desta sobremesa tão nordestina.

    Trajetória
Jonathas de Andrade se formou em Comunicação Social na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), enquanto abraçava as artes visuais. Foi lá que aprofundou o interesse mais plural em fotografia e cinema, participando de projetos como o Cineclube Barravento, e criando pequenos filmes com um grupo de amigos. Em seus primeiros contatos com a arte contemporânea, foi editor de fotografia do site 2 pontos.
Através de seu trabalho, o artista procura entender a história do Brasil a partir da identidade de uma região, das relações de poder entre as pessoas, lastreadas por um passado de colonização e explorações. Ficção e documentos são ferramentas utilizadas pelo artista, que traz como temperos desestabilizantes o erotismo e a ambiguidade.
Seu trabalho faz parte de importantes museus do mundo como Tate Modern, de Londres; MoMa e Guggenheim de NY e Georges Pompidou, na França. No Brasil, já expôs no Rio de Janeiro, Vitória, Fortaleza, Maceió, Goiânia e Porto Alegre, entre outras cidades, além de ter coleções em diversos acervos, a exemplo do MAM-SP, MAC-USP e Museu de Arte do Rio.
  
Serviço:
Abertura da Exposição “Caravana Museu do Homem do Nordeste”, de Jonathas de Andrade, em Goiana
Onde: 
Sesc Ler Goiana
Rua do Arame, s/n, Centro, 
Goiana, Pernambuco.
Quando: 
Abertura 12 de março, às 19h, com visita guiada com o artista 
Em cartaz até 22 de maio de 2020.
Agendamentos para grupos: (81) 3626-5961
Quanto: Gratuita

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artistas Digitais: Laís Xavier

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

Mais de 260 filmes Pernambucanos gratuitos para assistir em casa