Cepe lança novo romance de Luis Krausz hoje me São Paulo


Em Opulência, autor ressalta a impossibilidade de reconstruir mundos perdidos.

Muita gente gostaria de viver em Schalaraffenland, país imaginário descrito em Opulência, quinto romance do escritor e tradutor paulista Luis Sergio Krausz. O título é lançado nacionalmente pela Cepe Editora neste mês de março. Também conhecido como Cocanha, Schalaraffenland é um lugar mitológico criado na Idade Média, onde não há dificuldades para viver. O mundo ideal, utópico. 

“No Schlaraffenland os peixes nadam na superfície da água, bem
perto das margens, e já vêm assados ou cozidos. Mas se alguém tiver preguiça demais, como convém a um verdadeiro Schlaraff, basta chamar, “Pst! Pst!”, e os peixes já saem sozinhos da água e se encaminham, saltitando, direto para as mãos do bom Schlaraff, que nem mesmo precisa se abaixar.”

Fluente nas línguas alemã e hebraica, Krausz - descendente de uma família judaica européia - cita esse mito tão presente no imaginário da Europa Central para iniciar a narrativa de Opulência, que se passa em Campos do Jordão, município paulista localizado na Serra da Mantiqueira, com hotéis de luxo e casas em estilo arquitetônico suíço. O título do romance, segundo ele, “tem a ver com os sonhos de abundância vinculados ao ideário de uma determinada classe social no Brasil dos anos 1970, uma era marcada pelo ufanismo e pela megalomania, e por uma confiança ingênua e injustificada no chamado  ‘progresso’”. Na contramão, a realidade era bem outra, como revela na descrição dos costumes vigentes o professor de Literatura hebraica e judaica da USP. A tal opulência vem da herança da alta cultura austro-alemã herdada pela família protagonista do romance, que migra para o Brasil depois do nazismo - sim, há algo de autobiográfico


Sobre o autor
Luis atua em três segmentos de atividade literária: pesquisa acadêmica, a criação literária e a tradução. Já publicou um romance pela Cepe: Outro lugar, vencedor do Prêmio Cepe de Literatura (2016), e do Prêmio Machado de Assis (2018). O primeiro romance, Desterro: memórias em ruínas, foi publicado em 2011. Em 2016 e 2014 ganhou segundo lugar na categoria Romance e foi finalista do Prêmio Jabuti, respectivamente, com os títulos Bazar Paraná e Deserto, ambos da editora Benvirá.
Também já publicou seis livros acadêmicos sobre literatura judaico-alemã e literatura judaica, e realizou 15 traduções de autores como Franz Kafka (no prelo), Thomas Mann (no prelo), Aharon Appelfeld e Friedrich Christian Delius.

Serviço
Lançamento do livro Opulência (Cepe Editora)
Preço: R$ 30 (livro impresso); R$ 9 (e-book)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

HOJE TEM CANTO DE CASA

Artistas Digitais: Ivyson