A abertura da exposição biográfica do pernambucano Alceu Valença, aguardada para a próxima terça-feira (05), foi remarcada para o dia 14 de novembro

 
Alceu Valença / Foto Bruna Andrade

Intitulada “A Energia dos Doidos, Motor da Imaginação”, a mostra tem curadoria de Rose Pepe e mistura arte, interatividade e tecnologia. 

O vernissage da exposição "Alceu Valença: a energia dos doidos, motor da imaginação", que ocorreria nesta terça feira, 5 de novembro de 2019, foi remarcado para o próximo dia 14 de novembro, quinta-feira, às 19h, no Museu do Estado de Pernambuco (MEPE). A decisão da curadoria pelo reagendamento se deu em respeito ao artista homenageado, Alceu Valença, que, por motivos pessoais, precisou remarcar sua participação no vernissage da exposição.


A mostra traz cerca de 20 obras inéditas, que remontam de forma imersiva a carreira e trajetória de vida do artista. Na ocasião, também será lançado um catálogo com biografia do artista. A curadoria é da designer Rose Pepe

Tributo a pluralidade de Alceu, que é considerando um dos mais importantes nomes da música popular brasileira, a expo narra a vida do músico a partir de pinturas, cinema, instalações interativas e objetos eletrônicos. “O universo de Alceu Valença é cheio do simples em sua complexidade. A exposição foi pensada para representar a inquietude e versatilidade desse grande artista”, revela a curadora da mostra.

Entre as obras, destaca-se a instalação “Linha do Tempo”, na qual é possível ouvir por meio de audiodescrição em um headphone, histórias contadas por Alceu. Outro ponto alto da mostra é a “Luneta do Tempo”, equipamento interativo audiovisual que brinca com o primeiro filme produzido pelo artista. 

Preocupada com todas as dimensões artísticas de Alceu, seja nas canções, na literatura ou no cinema, a exposição transforma cada vertente do pernambucano em um verdadeiro espetáculo, que permite inúmeras interpretações ao observador.
A abertura da mostra também ocorre com o lançamento de um livro, que reúne histórias, fotos e causos, do músico pernambucano. A obra também é um livro áudio com narrações feitas pelo próprio Alceu.

“Construímos o livro, a partir de entrevistas que fizemos com o Alceu, durante a construção da mostra. Alceu é um ótimo contador de histórias, o material ficou tão rico, que achamos um pecado não usá-lo. Por isso transformamos em literatura e um áudio livro. E ninguém melhor do que o próprio Alceu para contar sua história. A obra é envolvente do início ao fim”, revela Rose Pepe, curadora da exposição. 

Com quase 50 anos de carreira, Alceu Valença é um dos mais celebrados artistas do país. Dono de canções emblemáticas que marcam diferentes gerações, à exemplo de “Anunciação”,“Tropicana”, “Pelas ruas que andei”“La belle de Jour” e diversas outras, o artista de 73 anos arrasta multidões e corações com frevos, cocos e cirandas, que misturadas ao rock, guitarras, baixo e sintetizadores eletrônicos, formam um estilo único que representa o Brasil e toda a essência e regionalidade do Nordeste.


Serviço:
Vida e Trajetória Artística Do Cantor Alceu Valença Viram Exposição Interativa No Mepe
Vernissage: Nesta terça-feira (05), a partir das 19h, no Museu do Estado de Pernambuco, Avenida Rui Barbosa, 960 – Graças, Recife
Visitação: De 14/11/19 à 05/01/20, de terça a sexta-feira, das 9h às 17h e das 14h às 17h nos sábados e domingos
Entrada Vernissage: Gratuita
Entrada Visitação: R$ 10 (Entrada Inteira), R$ 5 (Meia entrada Estudante) e Entrada gratuita nas quartas-feiras. 
Informações(81) 3184-3170

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artistas Digitais: Laís Xavier

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

Mais de 260 filmes Pernambucanos gratuitos para assistir em casa