CULTURA QUILOMBOLA AMAPAENSE É DESTAQUE NA PROGRAMAÇÃO DA CAIXA CULTURAL RECIFE



Foto: Divulgação |Banda AfroBrasil 


Projeto inédito traz shows, oficinas, debate e exposição fotográfica

A CAIXA Cultural Recife apresenta, de 6 a 9 de novembro de 2019 (quarta a sexta-feira), o projeto  Preces, Louvores e Batuques do Quilombo do Curiaú, uma mostra de conteúdos artísticos e culturais da localidade situada na cidade de Macapá (AP). O projeto plural apresenta a cultura quilombola com quatro shows distintos, duas oficinas de percussão gratuitas, mesa de debate e uma exposição fotográfica de Paulo Rocha, coordenador do projeto, que apresenta imagens captadas durante cinco anos das festas religiosas e profanas, louvores e batuques quilombola macapense.

A programação de shows, que representam a influência musical contemporânea latina, o som das Guianas que fazem fronteira com o Amapá e também a percussão raiz quilombola, começa com a cantora Brenda Melo, na quarta-feira (6). Os tambores do Amapá em fusão com diversos estilos musicais universais, dão ao trabalho de Brenda Melo um tempero diferenciado. A cantora traz em seu cantar toda brasilidade que pulsa em suas veias, tendo como essência sua Terra, sua cultura. O ano de 2014 marcou o lançamento do primeiro trabalho autoral de Brenda, o ‘Tática’ que realizou turnê por diversos estados brasileiros.
Na quinta (7), é a vez do cantor, compositor, regente e aranjador Paulo Bastos. O grupo AfroBrasil mostra a  sonoridade, a riqueza e diversidade da cultura do Extremo Norte do Brasil na sexta-feira (8). A rusticidade das caixas de marabaixos,  macacos (amassador e dobrador) e pandeirões, fundem-se com teclados, guitarras e contrabaixos elétricos, propiciando aos ouvintes uma experiência sensorial única, que evoca a força ancestral contido no tambor, em canções que flertam com o cacicó, zouk e o reggae. 

Encerrando a programação musical, no sábado (9), o Grupo Raízes do Bolão, composto por agricultores que são tocadores, cantores e dançadeiras, traz a música de essência quilombola. Todos os shows ocorrem às 20h, e os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia para todos os casos previstos em lei e para clientes CAIXA).
Oficinas e debate:
Além da exposição e dos shows, o projeto oferece duas oficinas gratuitas e um bate-papo. A Oficina Percursos Sonoro-Coreográficos acerca do Batuque do Curiaú é sobre a forma de tocar, cantar e dançar o Batuque e ocorre dia 7 (quinta-feira), das 10h às 13h. Já a Oficina Percursos Sonoro-Coreográficos acerca do Marabaixo do Curiaú, onde os integrantes do projeto mostram o canto, a dança e o toque do Marabaixo, ocorre na sexta-feira (8), das 10h às 13h. As oficinas têm 20 vagas cada, a classificação indicativa é 16 anos, e a inscrição deve ser enviada para o e-mail cpcamapa@gmail.com.

No sábado (9), às 16h, o projeto promove o debate Interferências Étnico-Raciais na Música Amapense. É um relato de experiências mediadas por  Paulo Bastos, Brenda Melo, Alan Gomes e Adelson Preto. A entrada é gratuita, e as senhas serão distribuídas na bilheteria.

Sobre o Quilombo do Curiaú:
Ffoi o primeiro quilombo reconhecido no Estado do Amapá e o segundo do país. Sua titulação se deu em 3 de novembro de 1999, pela Fundação cultural Palmares, órgão ligado ao Ministério da Cultura. Lá, há apenas oito quilômetros da cidade de Macapá, a Capital do Estado do Amapá, 489 famílias remanescentes de quilombolas lutam para manter viva a história dos seus antepassados, seja por meio da oralidade de mestres griots, por suas festas religiosas ou pela sonoridade do marabaixo, ritmo usado pelos escravos para amenizar o sofrimento nos porões dos navios negreiros e considerado a maior expressão cultural amapaense.

Programação:
6 de novembro de 2019 (quarta-feira)
10h às 20h – Visitação à exposição Preçes, Louvores e Batuques (Galeria 2; gratuito)
20h – Show da cantora Brenda Melo (Teatro; R$ 30 inteira, R$ 15 meia)

7 de novembro de 2019 (quinta-feira)
10h às 20h – Visitação à exposição Preçes, Louvores e Batuques (Galeria 2; gratuito)
10h às 13h – Oficina Percursos sonoros-coreográficos acerca do Batuque  do  Curiaú (Oficina 1; inscrição gratuita pelo e-mail cpcamapa@gmail.com)
20h – Show do cantor Paulo Bastos (Teatro; R$ 30 inteira, R$ 15 meia)

8 de novembro de 2019 (sexta-feira)
10h às 20h – Visitação à exposição Preçes, Louvores e Batuques (Galeria 2; gratuito)
10h às 13h – Oficina Percursos sonoros-coreográficos acerca do Marabaixo  do  Curiaú (Oficina 1; inscrição gratuita pelo e-mail cpcamapa@gmail.com)
20h – Show do Grupo AfroBrasil (Teatro; R$ 30 inteira e R$ 15 meia)

9 de novembro de 2019 (sábado)
10h às 20h – Visitação à exposição Preçes, Louvores e Batuques (Galeria 2; gratuito)
16h – Debate Interferências étnico-raciais na música Amapense (Sala Multimídia; gratuito)
20h – Show do Grupo Raízes do Bolão (Teatro; R$ 30 inteira, R$ 15 meia)

Conheça os artistas:

Serviço:
[MÚSICA] Projeto Preces, Louvores e Batuques do Quilombo do Curiaú
Local: CAIXA Cultural Recife – Av. Alfredo Lisboa, 505, Praça do Marco Zero, Bairro do Recife
Data: 6 a 9 de novembro de 2019 (quarta-feira a sábado)
Informações: (81) 3425-1915
Ingressos: para os shows – R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia para clientes CAIXA e casos previstos em lei)
Bilheteria: a partir das 9h do dia 5 de novembro de 2019 (terça-feira)
Duração: 90 minutos (shows)
Classificação: Livre
Capacidade: 121 lugares (shows); 30 vagas (oficinas); 76 lugares (debate)
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

Artistas Digitais: Ivyson

HOJE TEM CANTO DE CASA