Estudo e histórias do corpo ancestral viram espetáculo no Recife

Foto: Igor Bezerra

“Aldeias” estreia neste sábado (26), às 20h, no Espaço O Poste, revisitando o universo ritualístico da cultura ameríndia e afro-brasileira.

Orixás, Encantados, Povos de Rua... O rico imaginário do Panteão Africano e do Candomblé, incluindo personagens da Umbanda e da Jurema, compõem a narrativa de “Aldeias – Experimentos do Corpo Ancestral”, um espetáculo fruto de pesquisa teatral realizada pela atriz, diretora e figurinista recifense Agrinez Melo. “Aldeias” estreia em única apresentação neste sábado (26/10), às 20h, no Espaço O Poste.

Em cena, 12 atores-pesquisadores se desafiam a vivenciar o corpo ancestral, rememorando o ser humano primitivo e tribal, em sintonia com o sagrado da religiosidade afrobrasileira e das energias da natureza. De forma não linear, os rituais e cultos, que envolvem cênica e música, conduzem o público por questionamentos de origem, pertencimento, autoconhecimento e superação.

"As aldeias são moradas por onde o ser humano passou. Em cada local, ele construiu a sua", afirma a Agrinez. Durante três meses de processo, a diretora compartilhou parte da pesquisa “Dramaturgia dos Orixás”, que interliga práticas de Teatro Físico e Antropológico ao imaginário do Candomblé. O projeto pioneiro, já utilizado nos espetáculos do grupo O Poste Soluções Luminosas, é replicada agora com outros artistas, trazendo ainda a inserção de expressões da Jurema e da Umbanda.

De forma inovadora, a sistematização do método propõe a descoberta do corpo primitivo de cada ator-pesquisador através exercícios, movimentações e vetores compilados pela metodologia, que alicerçam interpretações viscerais e vívidas. O elenco é composto por Alinho Fonte, Fernanda Spíndola, Gabi do Carmo, Jorge Féo, Kleber Valentim, Lah Euzébio, Le Mer, Maria Costa, Milton Raulino, Rômulo Moraes, Yasmmym Regina e Washington San’s.

O POSTE E O CORPO ANCESTRAL – O grupo O Poste Soluções Luminosas, coletivo formado apenas por artistas negros e que protagonizam obras teatrais que exaltam a cultura negra, desenvolvem desde 2015 o estudo a que chamam “O Corpo Ancestral Dentro da Cena Contemporânea”. O projeto resgata saberes e práticas do homem primitivo e proporciona inovação na produção teatral recifense. Formado por Samuel Santos, Naná Sodré e Agrinez Melo, o grupo O Poste se debruça sobre a dramaturgia do Teatro Físico, que surge através de técnicas de consciência corporal, produzindo e dirigindo espetáculos que favorecem atuações dentro dessa linguagem.



SERVIÇO:

Estreia do espetáculo “Aldeias - Experimentos do Corpo Ancestral”

Direção e Construção de Dramaturgia: Agrinez Melo

Quando: sábado, 26 de outubro de 2019

Horário: R$ 20

Local: Espaço O Poste (Rua da Aurora, 529 – Boa Vista)

Ingressos: R$20 (preço único) | R$ 10 (entrada social + 1kg de alimento não perecível)

Informações: (81) 99505-4201

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

HOJE TEM CANTO DE CASA

Artistas Digitais: Ivyson