Marília Parente lança primeiro disco

Capa do disco foi fotografada e trabalhada por Renê Porfírio; imagem é registro de Marília em sua terra natal, Exu-PE. (divulgação)

Cantora e compositora pernambucana expõe entranhas das estradas e procuras que marcaram sua vida no primeiro trabalho solo, intitulado “Meu céu, meu ar, meu chão e seus cacos de vidro” 


Com apenas 25 anos, a cantora e compositora pernambucana Marília Parente se prepara para apresentar seu primeiro disco, “Meu céu, meu ar, meu chão e seus cacos de vidro”. Co-produzido pela artista em parceria com os músicos Juvenil Silva e D’Mingus, o trabalho reúne dez faixas em um universo onde os ritmos e timbres nordestinos podem encontrar um caminho para a renovação com a ajuda das linguagens do rock n’roll e da música oriental. O álbum digital estará disponível em todas as plataformas digitais no dia 27 de agosto. Já o lançamento do disco físico acontecerá em show no Teatro Arraial, às 20h do dia 5 de setembro. 


Imagine uma estrada que começa com um aboio da cidade de Exu (PE), escorre pelos rios do sertão do Araripe nas águas do baião e do maracatu cearense e desemboca na cidade grande do rock n’roll. “Como isso também aconteceu com a geração nordestina dos anos 1970, o pessoal costuma rotular meu trabalho como ‘psicodélico’, ‘setentista’ ou algo do tipo. Talvez, mas a verdade é que lá no fundo eu sou muito melodista, fã do assobio, isso é muito fluente para mim. Além disso, o ser humano continua sem saber pra onde estamos todos indo ‘às carreiras’, com tanta pressa. Então me considero muito contemporânea”, opina Marília.  


Tomando a estrada como metáfora e fio condutor que orienta a narrativa poética do disco, a artista recorre à voz- marcadamente influenciada pelo canto dos vaqueiros, das rezadeiras de seu Cariri e por artistas como Marinês, Amelinha e Elba Ramalho- como veículo para transitar pela fronteira que existe entre o rock n’roll e os ritmos e escalas nordestinas e orientais. É o regional que busca se tornar mais universal, com o intuito de abandonar a posição de folclórico. “A única coisa permanente na cultura popular é sua inevitável e necessária transformação, porque ela é pulsante, viva, cotidiana. Tentar aprisioná-la a um olhar de exotismo, a essa bandeira difusa de “preservação do forró”, é matá-la, porque ela acaba se traduzindo em produções ‘caretas’. Exaltar nossa nordestinidade, recebendo a influência do contexto em que vivemos, é uma atitude política de resistência”, defende Marília.


Fortemente influenciado também por artistas como Luiz Gonzaga, Geraldo Azevedo, Fagner, Beatles, Cátia de França, Lô Borges, Beach Boys, Rodger Rogério, Ednardo e Bob Dylan, o trabalho foi gravado nos estúdios Pé de Cachimbo Records, Malunguim Studio e em estúdio caseiros de amigos. "Esse caldeirão permite que a gente concilie um set de instrumentos que vai de viola de dez cordas, a guitarra elétrica e instrumentos indianos como o shruti e o sitar", completa Marília. Dentre as participações especiais, artistas como Regis Damasceno (Cidadão Instigado), Feiticeiro Julião, Marcelo Cavalcante, Juvenil Silva, Rodrigo Padrão, Ugo Barra Limpa, Sofia Freire, Mayra Clara,  Nivea Maria e o sanfoneiro exuense Jonnez Bezerra. 


Show de lançamento


O espetáculo a ser apresentado no Teatro Arraial consiste na execução das dez faixas presentes em “Meu céu, meu ar, meu chão e seus cacos de vidro”, com algumas surpresas. Cantando e tocando violão, Marília será acompanhada pelos músicos Juvenil Silva (guitarra), Diego Gonzaga (baixo) e Gil R (bateria). O evento será aberto pelo músico Ugo Barra Limpa, que executará alguns mantras em homenagem a George Harrison, cantando e tocando os

instrumentos indianos tampura e shrutibox. 


Entre as participações especiais estão Dadá Cavalcante, Rodrigo Padrão, Feiticeiro Julião e Marcelo Cavalcante, tendo estes três últimos participando do processo de gravação do disco. Os ingressos serão vendidos na hora pelo valor de R$ 20. 


Serviço// Lançamento de “Meu céu, meu ar, meu chão e seus cacos de vidro”


Onde: Teatro Arraial (Rua da Aurora, 457, Boa Vista, Recife)

Quando: 20h, 05/09

Ingressos: R$ 20 


Confira a ficha técnica do disco:


1.Meu céu, meu ar, meu chão e seus cacos de vidro (Marília Parente)


Voz: Marília Parente 

Efeitos: Ugo Barra Limpa 

Synths: D’Mingus 


2. Dia de João (Marília Parente) 


Voz e violão de aço: Marília Parente 

Guitarras: Juvenil Silva e Regis Damasceno 

Baixos: D'Mingus, Juvenil Silva e Regis Damasceno

Flautas transversas: D'Mingus 

Zabumba, triângulo e efeitos: Alexandre Baros.


3. Tristeza não Existe (Marília Parente)


 Voz e violão de aço: Marília Parente

Guitarras: Juvenil Silva e Regis Damasceno 

Baixo: Regis Damasceno

 Flauta tranversa e mellotron: D'Mingus

 Bateria: Rafael Daltro 


4. A vida no Cariri demora (Marília Parente) 


Voz: Marília Parente 

Violão e guitarra: Marcelo Cavalcante 

Sanfona: Jonnez Bezerra 


5. Vasudeva (Marília Parente/Marcelo Cavalcante) 


Vozes: Marília Parente e Marcelo Cavalcante 

Violão e guitarra: Marcelo Cavalcante

 Baixo: Juvenil Silva 

Bateria: Gil R

Flauta e teclado: D’Mingus


 6. Alvorada 


Vozes: Marília Parente

 Guitarras, baixo, violão, teclado: Rodrigo Padrão

 Violas: Feiticeiro Julião 

Bateria: Gil R 

Percussões: Leo Vila Nova 

Palmas: Juvenil Silva, D'Mingus e Marília Parente 


7. Estou desocupado com outras coisas desimportantes (Marília Parente)


 Voz: Marília Parente 

Coro mântrico: Marília Parente e Ugo Barra Limpa 

violões de aço: Juvenil Silva 

Viola e sitar: Feiticeiro Julião

 Shruti: Ugo Barra Limpa 

Baixo: Diego Gonzaga 

Bumbo: Gil R

Sino: Ugo Barra Limpa


8. Viagenzinha de verão (Marília Parente/ Juvenil Silva)


 Vozes: Marília Parente e Juvenil Silva

 Guitarras: Juvenil Silva 

Baixo: Diego Gonzaga 

Violão de aço: Juvenil Silva

 Bateria: Gil R 

Synth: D'Mingus 


9. Eu quero ver o cão mas não quero ver você (Marília Parente) 


Voz: Marília Parente

 Violão de aço e órgão: Feiticeiro Julião

 Guitarras: Juvenil Silva

 Baixo: Diego Gonzaga 

Pífano: D’Mingus

Bateria: Gil R 


10. Amor, disco voador (Marília Parente) 


Voz e violão de aço: Marília Parente

 Shruti e violão de aço: Ugo Barra Limpa 

Sitar e Viola: Feiticeiro Julião 

Coro: Mayra Clara, Sofia Freire, Nivea Maria e Ugo Barra Limpa 

Guitarras: Juvenil Silva

Baixos: Juvenil Silva e Diego Gonzaga 

Bateria: Gil R

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artistas Digitais: Laís Xavier

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

Mais de 260 filmes Pernambucanos gratuitos para assistir em casa