Espaço Pasárgada recebe lançamento de livros de cordel


“O Mapa da Rima” e “O Cordel de Escrita Feminina em Pernambuco”, das pesquisadoras Eulina Fraca e Shirley Rodrigues, resgatam a história de cordelistas e documenta a presença feminina no gênero literário

Patrimônio Imaterial Cultural Brasileiro, o cordel agora ganha memória pelas mãos das pesquisadoras e escritoras Eulina Fraga e Shirley Rodrigues. Elas assinam os livros “O Mapa da Rima” e “O Cordel de Escrita Feminina em Pernambuco”, que serão lançados na próxima sexta-feira (06/09), às 19h, no Espaço Pasárgada, no Centro do Recife.

A linguagem poética popular, que tem a rima como uma de suas principais características, sempre esteve presente na vida das autoras, que se conheceram durante a graduação em 2005, quando decidiram desenvolver projetos com a temática. “Nesse tempo de atividade, percebemos a ausência de memória em nossa literatura que retratasse a trajetória do cordel, seus escritores pioneiros e também a presença feminina nesse universo”, conta Shirley.

Assim, nasceram as duas obras, que são editadas pela Coqueiros, única editora que trabalha com esse gênero literário e têm arte desenvolvida pelo cordelista Leandro de Barros. As narrativas, que trazem alguns versos e mesclam harmonicamente conteúdo e poesia, já foram apresentadas na Europa e integram o acervo de bibliotecas de Portugal, Espanha e França.

Em 84 páginas, “O Mapa da Rima” (R$ 20) resgata a história e as obras dos poetas pernambucanos que escrevem, ou seja, de bancada, como Silvino Piruá, criador do romance, e João Matias de Ataíde, um dos maiores tipógrafos brasileiros. No entanto, o mapeamento se volta, em especial, a Leandro Gomes de Barros. Foi ele quem identificou o potencial mercadológico do cordel e deu início à produção da arte impressa no formato já familiar da cultura nordestina.

A soberania masculina encontrada ainda no cordelismo é o mote do livro “O Cordel de Escrita Feminina em Pernambuco” (R$15), concebido a partir da inquietação das escritoras ao perceber a ausência das mulheres em encontros culturais. Na obra, de 40 páginas, elas descortinam a autoria dos cordéis de Maria das Neves Batista. Primeira cordelista brasileira, ela utilizava o nome de seu esposo – Altino Alagoano – para assinar suas criações. Sua primeira produção foi “Violino do diabo e o valor da honestidade”. Ao todo, são aproximadamente 13 mulheres que ganham o reconhecimento por suas obras e têm suas vidas apresentadas aos leitores.

Serviço – Lançamento dos livros “O Mapa da Rima” e “O Cordel de Escrita Feminina”
Data: sexta-feira (06/09)
Horário: 19h30
Local: Espaço Pasárgada (Rua da União, 263. Boa Vista)
Entrada: gratuita

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artistas Digitais: Laís Xavier

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

Mais de 260 filmes Pernambucanos gratuitos para assistir em casa