O desmonte da cultura no Brasil




Revista Continente, editada pela Cepe, promove debate sobre tema que é reportagem da edição de agosto, hoje, às 19h, no auditório do Centro de Artesanato de Pernambuco 

O eclipse da cultura no Brasil? A pergunta-título da reportagem especial da Revista Continente (Cepe) de agosto está prestes a se tornar retórica, diante das mudanças na gestão cultural promovidas pelo governo federal nos últimos meses. A questão é abordada em texto assinado pela repórter especial da Continente, Luciana Veras, e pela editora da Continente Online, Olívia Mindêlo, e se faz tão urgente que sai das páginas da revista para chegar ao diálogo cara a cara com o público. A roda de conversa O desmonte da cultura no Brasil mediada pelas jornalistas e com algumas das fontes entrevistadas para a reportagem está marcada para o dia 28 de agosto, às 19h, no auditório do Centro de Artesanato de Pernambuco, no Marco Zero. A entrada é gratuita, mas as vagas são limitadas (link de pré-inscrição no Sympla: https://www.sympla.com.br/roda-de-conversa-o-desmonte-da-cultura-no-brasil__621820. Na ocasião, serão sorteados exemplares da publicação.  

“O governo de Jair Bolsonaro abriu muitas frentes de desconstrução de um processo árduo e demorado que vinha sendo erguido pelos agentes culturais de todo o país. Isso exigiu do nosso trabalho de reportagem um olhar panorâmico e aprofundado da política cultural que está sendo desenhada pelo atual governo federal. Para isso escutamos mais de 30 fontes de todas as regiões do país, além de fazer pesquisa em documentos, livros e outras matérias publicadas. O resultado é um apanhado amplo de sete meses de uma gestão cultural sem MinC. É, sem dúvida, um documento digno de leitura”, declaram as jornalistas Olívia Mindêlo e Luciana Veras, que acompanham, como repórteres, a política cultural brasileira desde 2000.

Elas mediarão a conversa com a secretária executiva de cultura de Pernambuco, Silvana Meireles; a presidente da Fundação de Cultura Cabras de Lampião de Serra Talhada, Cleonice Maria; o artista de teatro e gestor cultural Leonardo Lessa; e o produtor de cinema da Canaval Filmes João Vieira Jr. 


Na pauta de discussões, possivelmente surgirão assuntos abordados na reportagem, como a redução do MinC a secretarias, as novas regras para a Lei Rouanet, a redução de verbas para o setor cultural, sem falar na intervenção de participação social, como a mudança do formato do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), “importante instrumento de construção coletiva de políticas culturais assegurado pela Constituição”, diz a reportagem. “Bolsonaro editou um decreto esvaziando totalmente o conselho, diminuindo a participação da sociedade civil e transformando-o em consultivo. O que ele tinha de deliberativo, eles estão retirando”, declara Lessa à Continente. 

Questionado sobre como se posiciona diante das críticas de que o governo Bolsonaro não percebe a cultura como setor estratégico, o secretário especial da Cultura, Henrique Medeiros Pires respondeu: “São naturais as críticas a qualquer governo no Estado Democrático de Direito (...) Atualmente temos críticas menores do que há seis meses e elas estão dentro do patamar do aceitável”, afirmou Henrique em entrevista. Nesta quinta-feira, 22/8, o secretário deixou o cargo por não admitir que o governo imponha ‘filtros’ na cultura.  

Serviço:
Roda de conversa  O desmonte da cultura no Brasil
Quando: 28 de agosto
Horário: 19h
Onde: Centro de Artesanato de Pernambuco ( Av. Alfredo Lisboa, s/n, Bairro do Recife)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

HOJE TEM CANTO DE CASA

Artistas Digitais: Ivyson