quinta-feira, 24 de maio de 2018

O samba elegante de Nina Wirtti na Caixa Cultural



Atração do projeto Samba de Bamba, gaúcha, que tem em Yamandu Costa fã declarado e parceiro musical, vem pela 1ª vez ao Recife, dia 29 de maio


A cantora gaúcha Nina Wirtti – terceira atração do projeto Samba de Bamba 2018 – vem pela primeira vez ao Recife: ela faz show dia 29 de maio (terça-feira), no Teatro da Caixa Cultural, com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia). Acompanhada por um quarteto musical formado por Rafael Mallmith (violão 7 cordas), Luis Barcelos (bandolim), Gustavo Wirtti (baixo acústico) e Marcus Thadeu (percussão), vai apresentar sambas de seu disco de estreia, “Joana de Tal” (2012), que inclui composições de Noel Rosa, Wilson Moreira, Guilherme de Brito e seu conterrâneo Lupicínio Rodrigues, além de canções de seu mais recente álbum, “Chão de Caminho” (2017).

Nina se diferencia pela escolha do repertório, que passeia entre novidade e a pesquisa da forte tradição brasileira (a que ela se dedica com entusiasmo). E também pelo time de músicos que, ainda jovens, são valorizados no país e no exterior pelo domínio da linguagem brasileira e da técnica de seus instrumentos. Seu canto é influenciado por grandes vozes de antigamente, com frescor contemporâneo.

Foto: Hugo Germano
Nascida em berço musical - com avós, pais e irmãos artistas -, ela mudou-se de Santa Maria (RS) para o Rio de Janeiro há 12 anos. Seu pai é Antônio Gringo, compositor, instrumentista e cantor tradicionalista gaúcho. Foi nas rodas de samba e choro da Lapa que Nina conquistou o coração - e os ouvidos - de conterrâneos como Yamandu Costa e também de artistas como Ronaldo do Bandolim e Paulão 7 Cordas, declarados fãs da cantora.

O primeiro álbum, "Joana de Tal", lançado pela gravadora Fina Flor, é dirigido e arranjado pelo contrabaixista Guto Wirtti, que oferece um diálogo entre a tradição do Brasil e a música universal, com influências como o jazz francês e o fado. O CD tem a participação especial de importantes músicos da cena contemporânea, como Yamandu, que gravou violão de sete cordas na canção "Zé Ponte", do também gaúcho Lupicínio Rodrigues. Em 2016, Nina fez sua estreia no teatro musical com o elogiado espetáculo “A Cuíca do Laurindo”, de Rodrigo Alzuguir, com Marcos Sacramento e grande elenco, retratando o Rio de Janeiro dos anos 1940, o amadurecimento do samba como genêro identitário do Brasil.

Ainda em 2016, a convite da Funarte, participou do MicSur ‐ Colômbia, representando o Brasil no evento junto ao bandolim de Luis Barcelos. Ali, apresentou o show “Chão de Caminho”, com canções brasileiras garimpadas e inéditas, dialogando com os ritmos sul‐americanos com uma sonoridade original. Este trabalho foi lançado em disco em 2017. Este ano, participou da gravação (audiovisual) da música “O Vôo da Mosca”, em comemoração ao centenário de Jacob do Bandolim, ao lado do autor da letra dessa música, Oswaldo Gusmão, parceiro póstumo do compositor.

Serviço:
Samba de Bamba com Nina Wirtti 
Dia 29 de maio (terça-feira), às 20h
Teatro da Caixa Cultural: Av. Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife
Informações: (81) 3425.1905

Ingressos

R$ 20 e R$ 10 (meia) – à venda no dia do show, a partir das 10h, na bilheteria do teatro
Lotação: 97 lugares
Duração: 90 minutos
Classificação etária: Livre

Nenhum comentário:

Postar um comentário