quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Sonora Brasil movimenta debate e apresentações de Coco no Marco Camarotti

Coco de Zambê | Foto: divulgação
De 11 a 14 deste mês, grupos pernambucanos e de outros Estados
participam do projeto nacional. O acesso é gratuito

O projeto nacional Sonora Brasil, do Sesc, aporta no Recife a partir desta sexta-feira (11) até o dia 14 de agosto. A iniciativa, que está na sua 20ª edição, leva ao Teatro Marco Camarotti programação que contará com mesa de debate, trazendo para a discussão Mestres e Mestras da cena local do Coco. Além disso, a grade traz apresentações de grupos da terra e de Estados como Ceará e Sergipe. Nesta etapa do circuito, o convidado para turnê em Pernambuco é o Coco de Zambê, do Rio Grande do Norte.

A abertura nesta sexta-feira (11), às 16h, inicia com o Encontro e Diálogos Nas Pisadas dos Cocos da Xambá (PE) e do Zambê (RN). Às 19h30, o grupo Bongar apresenta no palco do Marco Camarotti a musicalidade do Coco da Xambá, uma vertente desse ritmo presente no Nordeste do país. Encerrando à noite, às 20h, é a vez do Coco de Zambê formado apenas por homens. O grupo tem como característica o canto responsarial, puxado pelo mestre, e os brincantes se revezam reverenciando o tambor com passos livres que lembram os movimentos da capoeira e do frevo.

No sábado (12), tem o Encontros e Diálogos Nas Pisadas dos Mestre Galo Preto (PE) e do Coco do Iguape (CE), às 16h. À noite, às 19h30, o Mestre Galo Preto, do Quilombo Rainho Isabel, em Bom Conselho, no Agreste, mostra a sua arte. Ele se distingue dos outros que fazem coco de roda pelo poder de improviso e das histórias guardadas consigo, o que fez com que se tornasse Patrimônio Vivo de Pernambuco. Às 20h, tem o Coco de Iguape, composto por pescadores, com a sua dança mais acelerada e vestimenta de tecido usado nas velas das jangadas.

No domingo (13), às 15h, a roda de conversa traz os cocos pernambucanos de Zé Negão, natural da cidade de Goiana, que resgata os cantos do período escravagista, e o de Tebei, onde casais enlaçados marcam o ritmo com os pés enquanto um grupo de mulheres canta. Em seguida, haverá apresentação dos dois no palco do Marco Camarotti. Já no último dia de programação (14/08), o encontro recebe a Sambada das Mestras do Coco de Olinda - Aurinha do Coco, D. Glorinha, Ana Lúcia e D. Cila - e o Samba de Pereia (SE), a partir das 16h.

Oficinas – A grade de atividades do Sonora Brasil no Marco Camarotti contará com duas atividades formativas na sala de música do Sesc Santo Amaro. A primeira é a de Coco Miudinho da Xambá, que acontece nos dias 12 e 13 de agosto, das 14h às 16h. A outra é a de Diálogos em Ação na Pisada dos Cocos, no dia 14. A oficina será movimentada com o Mestre Galo Preto, o Mestre Zé Negão, Guitinho da Xambá e Adiel Luna. Os interessados em participar podem se inscrever gratuitamente através de formulário no site do Sesc (www.sescpe.org.br). 

Serviço:
Sonora Brasil
De 11 a 14 de agosto
Teatro Marco Camarotti - Sesc Santo Amaro, Rui Treze de Maio, nº 455
Acesso gratuito
Informações: 3216.1728 | www.sescpe.org.br

Coco de Zambê – Como outras manifestações da tradição oral, o Coco de Zambê correu o risco de desaparecer, mesmo tendo se constituído durante décadas como elemento identitário de comunidades quilombolas da região. Seu ressurgimento ocorreu no final do século XX, a partir da iniciativa de pessoas preocupadas com seu desaparecimento. A música se caracteriza como um canto responsorial e a dança acontece numa roda que mantém ao centro os tocadores. Uma de suas principais características é o fato de ser praticado apenas por homens. O grupo é formado por Didi (Djalma Cosme da Silva), Uzinho (Severino de Barros), Tonho (Antonio Cosme de Barros), Mestre Mião (Damião Cosme de Barros), Zé Cosme (José Cosme Neto), Kéké (Ckebesson da Silva), Pepé (Ederlan da Silva), Beto (José Humberto Filho de Oliveira).
Circuito – O Coco de Zambê, responsável por essa etapa do circuito em Pernambuco, se apresenta no dia 19 de agosto em Jaboatão. Ainda no Grande Recife, no dia 20, é a vez de Camaragibe receber o projeto, às 17h, no Canto das Memórias Mestre Zé Negão, no bairro de João Paulo II. Já no dia 22, o circuito chega ao município de Goiana, na Zona da Mata Norte. Lá, a apresentação poderá ser conferida na Praça de Eventos, às 20h. O grupo passará pelas cidades de Surubim (23/08), Caruaru (24/08), Garanhuns (26/08), Belo Jardim (27/08), Pesqueira (28/08), Buíque (29/08), Triunfo (30/08), Bodocó (1º/09), Araripina (02/09) e Petrolina (03/09).


Sonora Brasil – No biênio 2017/2018, a inciativa traz os temas “Na pisada dos cocos”, que apresenta a expressão típica da Região Nordeste, trazendo dois grupos do litoral e outros dois do interior; e “Bandas de música: formações e repertórios”, com um panorama das tradicionais bandas que, espalhadas pelo país, são reconhecidas como importantes instituições formadoras de músicos que integram orquestras e conjuntos de câmara. O primeiro tema circula pelos estados das regiões Norte e Nordeste, enquanto o segundo segue pelos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Em 2018, na 21ª edição, acontece a inversão dos grupos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário