quinta-feira, 27 de julho de 2017

Exposição que comemora os 30 anos do Mão Molenga tem temporada prorrogada

Foto: Rogério Alves
A exposição que comemora os 30 anos do grupo Mão Molenga Teatro de Bonecos vai ficar em cartaz por mais um mês, até o dia 31 de agosto, na Galeria Corbiniano Lins, no Sesc Santo Amaro. A mostra “Mão Molenga – Cenas de uma história” pode ser vista de segunda a sexta, das 9h às 17h, com entrada gratuita e visitas guiadas sob agendamento para grupos e escolas.

O mote escolhido para a exposição foi a série “Brasil 500 anos”, um dos trabalhos mais significativos da trajetória do Mão Molenga. Personagens históricos como Dom Pedro I, Dom Pedro II, a princesa Leopoldina, dona Maria I, além de nomes como José Bonifácio, Zumbi dos Palmares, José do Patrocínio e Joaquim Nabuco, em suas versões “bonecos” compõem a mostra. Há ainda personagens que existiram somente na ficção, para ajudar a recontar a história sob a perspectiva do cidadão comum. É o caso da vedete Virgínia, que não era uma personagem histórica, mas recebeu destaque e teve o cenário que aparecia na série recriado. Figurinos, croquis, além de mais de 100 fotografias, também estão em exibição.

Exibida entre os anos de 1998 e 2003, inicialmente pela TV Escola (e depois retransmitida em diversos canais e disponível na internet), a série “Brasil 500 anos” contou com quatro temporadas: Um Novo MundoBrasil ColôniaBrasil Império e Brasil República, totalizando 30 episódios. Mais de 800 personagens, todos bonecos idealizados pelo grupo, ajudaram a contar a história do Brasil desde o tempo dos navegadores até os anos 2000, quando o país comemorou 500 anos.


Cerca de 50 bonecos foram restaurados para a exposição, que é dividida em quatro etapas. O processo de criação e execução dos bonecos, desde a pesquisa até a finalização, compõem o primeiro estágio. No segundo momento, os bonecos são mostrados como objetos de arte, representando diferentes etnias e o universo dos personagens históricos. Uma linha do tempo de figurinos, desde o período colonial até os anos 2000, foi montada nesse espaço. No terceiro trecho da mostra, o espectador tem contato com os bonecos em atuação: imagens em vídeo e fotografias. E, por fim, há um registro dos profissionais envolvidos na série. Cerca de 60 atores pernambucanos participaram do projeto como dubladores, como Irandhir Santos, Marilena Breda, Luciana Lyra, Leidson Ferraz, Quiercles Santana e Nilza Lisboa. A direção geral da série contou com Luiz Felipe Botelho, Fátima Accetti, Cynthia Falcão e Nilza Lisboa. A direção de arte reuniu nomes como Marcondes Lima e Walter Holmes, além de Maria Pessoa e Beto Martins na direção de fotografia.

O Mão Molenga Teatro de Bonecos é formado pelos mesmos artistas desde a sua criação, em 1986: o encenador Marcondes Lima, a roteirista Carla Denise e os bonequeiros Fátima Caio e Fábio Caio. Com curadoria de Marcondes Lima, a exposição é uma parceria com o Sesc Pernambuco, com apoio da Massangana Multimídia Produções e incentivo do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura)

ESPETÁCULO - No dia 26 de agosto, às 16h, o grupo apresenta o espetáculo Algodão doce, que trata da Cultura do Açúcar a partir de três histórias de assombração: Comadre Fulôzinha, As desventuras de Ioiozinho e O negrinho do Pastoreio. Um detalhe chama toda atenção de crianças e adultos: os bonecos do espetáculo são feitos com um material que imita a textura do algodão doce. A apresentação será no Teatro Marco Camarotti, no Sesc Santo Amaro.

Serviço:
Exposição “Mão Molenga – Cenas de uma história”
Visitação de segunda a sexta, das 9h às 17h, até 31 de agosto
Galeria Corbiniano Lins (Sesc Santo Amaro – Rua Treze de Maio, 455, Santo Amaro)
Entrada gratuita
Informações e agendamentos: (81) 3216-1728


*com informações da assessoria de imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário