quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Jorge Furtado é tema de mostra na Caixa Cultural

Cena de Decamerão | Foto: Fábio Rebelo
A Caixa Cultural Recife apresenta de 13 a 18 de dezembro a retrospectiva Palavra em Movimento – Filmes e roteiros de Jorge Furtado, que contempla a exibição de uma série de trabalhos do diretor e roteirista gaúcho, que vão de curtas-metragens e longas consagrados, como "Ilha das Flores" (1989) e "O homem que copiava" (2003), a títulos produzidos especialmente para a televisão, muitos dos quais foram veiculados uma única vez. O evento contará ainda com um debate (17/12) e uma master class gratuita (18/12), na qual o artista discorrerá sobre o processo de desenvolvimento de suas narrativas. Os ingressos para as sessões custam R$ 2 e R$ 1 (meia) e estarão à venda no dia da exibição, a partir das 10h.

Conhecido pelo trato fino que dá à palavra em seus projetos, Jorge Furtado criou roteiros de carpintaria arrojada, com diálogos inventivos, repletos de humor e viradas mirabolantes. O foco da mostra, cuja curadoria é assinada pelo diretor e produtor Angelo Defanti, se ajustará nas obras essencialmente populares do autor, que conquistou extenso sucesso de crítica e público no decorrer de 30 anos dedicados ao audiovisual. Entre os destaques da programação estão curtas raros, como "O dia em que Dorival encarou a guarda" (1986) e "Barbosa" (1988), e longas marcantes, ao exemplo de "Meu tio matou um cara" (2003) e "Saneamento básico, o filme" (2007). Ainda estão programadas sessões com títulos produzidos para a televisão desde 1990.

Ao longo da mostra, os espectadores poderão adquirir um catálogo da retrospectiva, que inclui uma longa entrevista com o cineasta, transcrita na íntegra, sobre seu processo de criação. Para adquirir a publicação, é preciso apresentar ingressos de duas sessões diferentes da mostra, na recepção do espaço. O Recife será a primeira cidade a receber a mostra após sua estreia no Rio de Janeiro, em 2014, onde mobilizou cerca de 1.200 espectadores ao longo de uma semana de exibições.

Serviço:
Mostra Palavra em movimento - Filmes e roteiros de Jorge Furtado
De 13 a 18 de dezembro de 2016
Caixa Cultural Recife - Av. Alfredo Lisboa, 505, Bairro do Recife
Ingressos: R$ 2 e R$ 1 (meia) para as exibições. O debate e a master class têm entrada gratuita, com distribuição de senhas uma hora antes do início.
Informações: 3425-1915

SOBRE O CINEASTA - Jorge Furtado iniciou a carreira no início dos anos 1980, quando começou a planejar curtas com colegas da TV Educativa, de Porto Alegre. A boa repercussão do primeiro projeto, "Temporal" (1984), abriu caminho para a realização de filmes como o antológico curta "Ilha das Flores" (1989), uma visão sagaz e criativa sobre o ciclo de produção consumista, que projetou seu autor nacional e internacionalmente. Em 2003, "O homem que copiava", seu segundo longa, alcançou a marca de 600 mil espectadores. No currículo, ele também tem a recente série de TV "Doce de mãe", protagonizada por Fernanda Montenegro, além de roteiros para filmes como "A mulher invisível", "Ó Pai, ó" e "Lisbela e o prisioneiro".

DEBATE - no dia 17/12, às 18h30, haverá o debate O mercado de notícias: as crises da imprensa brasileira, sobre o cinema de Jorge Furtado, o processo de pesquisa em filmes, como o documentário “O Mercado de Notícias” (2013), e seus desdobramentos e reflexos no cenário jornalístico contemporâneo do Brasil. A entrada é gratuita com distribuição de senhas a partir das 17h30.

MASTER CLASS – intitulada Começar Bem, a master class será uma oportunidade para o público ouvir de perto o cineasta a respeito de sua trajetória e de suas singularidades a respeito do ofício de contar histórias. O encontro acontece no dia 18/12, às 17h, e terá três horas de duração. Furtado falará um pouco sobre sua carreira, com foco especial nas influências literárias e cinematográficas e no detalhamento de suas estratégias narrativas. O acesso à aula será gratuito, com senhas distribuídas uma hora antes do evento, sujeito à lotação da sala.

Programação:

Terça-13/12
14h

- Até a vista (18’)
(de Jorge Furtado, 18 min, cor, 2011, 12 anos)
Numa livraria na cidade de Porto Alegre, Fernando procura uma história para contar em seu primeiro longa-metragem. Fernando viaja para Argentina atrás de Borges Escudero, o autor do romance “Fronteiras”. Na tentativa de conseguir os direitos autorais, o cineasta recebe uma proposta inusitada do escritor. Os dois viajam para o Brasil a procura de um antigo amor de Borges Escudero.

- Saneamento básico, o filme (112')
(de Jorge Furtado, 112 min, cor, 2007, 12 anos)
Na pequena Linha Cristal, a comunidade se mobiliza para construir uma fossa no arroio e acabar com o mau cheiro. Marina, a líder do movimento, descobre que a Prefeitura este ano só tem verba para produzir um vídeo de ficção. Então ela e seu marido Joaquim resolvem filmar a história de um monstro que surge no meio das obras de saneamento. Marina escreve um roteiro, Joaquim faz uma fantasia. Silene aceita ser atriz, Fabrício tem uma câmara. Aos poucos, as filmagens vão envolvendo todos os moradores do local.

16h30
- Decamerão: Ep. Comer, amar e morrer (39')
Ep. O Espelho (31')
Ep. O Ciúme (35')

18h30
- O homem que copiava (124')
(de Jorge Furtado, 124 min, cor, 12 anos)
André, 20 anos, operador de fotocopiadora em uma papelaria, precisa desesperadamente de trinta e oito reais para impressionar a garota dos seus sonhos, Sílvia, que mora no prédio em frente e trabalha como balconista em uma loja de artigos femininos. Ajudado por seu amigo Cardoso, e depois também pela colega de trabalho Marinês, André faz muitos planos para conseguir dinheiro. E todos dão certo. E é aí que seus problemas começam.

Quarta 14/12
15h
- Ângelo anda sumido (16')
(de Jorge Furtado, 17 min, cor, 1997, Livre)
Dois velhos amigos se reencontram e combinam de jantar juntos, mas em seguida voltam a se perder no labirinto de grades, cercas e muros de uma grande cidade.

- Meu tio matou um cara (85')
(de Jorge Furtado, 85 min, cor, 16 anos)
Duca, aos 15 anos, descobre que os crimes que ele está acostumado a ver em jogos eletrônicos também podem existir na vida real, quando seu tio Éder é preso por um assassinato mal explicado. Duca resolve investigar o caso por conta própria, e tenta levar junto seus colegas Kid e Isa. Mas Isa parece mais interessada em Kid. E Kid parece mais interessado na primeira que aparecer. E Duca, claro, no fundo só se interessa por Isa.

17h
- A comédia da vida privada: As idades do amor (47')
- História do amor temp 1 (47')

19h
- História do amor temp 3 (16)' CLASSIFICAÇÃO: LIVRE
- Velásquez e a teoria quântica da relatividade (3')
- Houve uma vez dois verões (75')(de Jorge Furtado, 75 min, cor, 2002, 12 anos)
Chico, adolescente em férias na "maior e pior praia do mundo", encontra Roza num fliperama e se apaixona. Transam na primeira noite, mas ela some. Ao lado de seu amigo Juca, Chico procura Roza pela praia, em vão. Só mais tarde, já de volta a Porto Alegre e às aulas de química orgânica, é que ele vai reencontrá-la. Chico quer conversar sobre "aquela noite", mas Roza conta que está grávida. Até o próximo verão, ela ainda vai entrar e sair muitas vezes da vida dele.

Quinta 15/12
14h30
- Luna Caliente (120') CLASSIFICAÇÃO: 14 ANOS

17h
A comédia da vida privada - Ep. O mistério da vida alheia (53') + - História do amor temp 2 (34')

19h
- O dia em que Dorival encarou a guarda (14')
(de Jorge Furtado e José Pedro Goulart, 14 min, cor, 1986, 14 anos)
Numa prisão militar, numa noite de muito calor, o negro Dorival tem apenas uma vontade: tomar um banho. Para consegui-lo, vai ter que enfrentar um soldadinho assustado, um cabo com mania de herói, um sargento com saudade da namorada, um tenente cheio de prepotência - e acabar com a tranquilidade daquela noite no quartel.
- Homens de bem (70') CLASSIFICAÇÃO: 14 ANOS

Sexta 16/12
15h
- A comédia da vida privada: Ep. Apenas bons amigos (47')
CLASSIFICAÇÃO: 16 ANOS
- Cena aberta: Ep. O Negro Bonifácio (31') LIVRE

17h
- Ed Mort: Ep. Nunca houve uma mulher como Gilda (53')
CLASSIFICAÇÃO: 16 ANOS
- Cena aberta: Ep. As três palavras divinas (24')

19h
- A comédia da vida privada: ep. Anchietanos (50') 12 ANOS
- Cena aberta: Ep. A hora da estrela (39') LIVRE

Sábado 18/12
13h
-Doris para maiores: Ep. Dona Sílvia não gostava de música (4') CLASSIFICAÇÃO: 16 ANOS + Ep. Tempo (3')
- O sanduíche (13') ( De Jorge Furtado, 13 min, cor, 2000, 10 anos)
Os últimos momentos de um casal: a hora da separação. Mas o fim de alguma coisa pode ser o começo de outra. Outro casal, os primeiros momentos: a hora da descoberta. Encontros, separações e um sanduíche. No cinema, o sabor está nos olhos de quem vê.
- Doce de mãe (70') CLASSIFICAÇÃO: 12 ANOS

15h

- A comédia da vida privada: Drama (52') CLASSIFICAÇÃO: 12 anos
- Barbosa (13')(de Jorge Furtado e Ana Luiza Azevedo, 13 min, cor, 1988, livre) Trinta e oito anos depois da Copa do Mundo de 1950, um homem volta no tempo a fim de impedir o gol que derrotou o Brasil, destruiu seus sonhos de infância e acabou com a carreira do goleiro Barbosa
- Esta não é a sua vida (15') (de Jorge Furtado, 16 min, cor, 1991, 10 anos)
Documentário sobre a vida de Noeli Joner Cavalheiro. Noeli mora num subúrbio de Porto Alegre, é dona de casa e tem dois filhos. Nasceu numa cidade do interior, foi pra capital, trabalhou numa padaria, casou. É uma pessoa comum. Mas não existem pessoas comuns.

16h30
- Ilha das Flores (12') (de Jorge Furtado, 12 min, cor, 1989, livre)
Um tomate é plantado, colhido, transportado e vendido num supermercado, mas apodrece e acaba no lixo. Acaba? Não. ILHA DAS FLORES segue-o até seu verdadeiro final, entre animais, lixo, mulheres e crianças. E então fica clara a diferença que existe entre tomates, porcos e seres humanos.
- Fraternidade (3') (de Jorge Furtado, 3 min, cor, 1999, 10 anos)
Documentário sobre o retorno À Ilha das Flores.
- A Matadeira (15') (de Jorge Furtado, 16 min, cor, 1994, 14 anos)
Canudos foi uma pequena aldeia no nordeste do Brasil, fundada pelo líder messiânico Antônio Conselheiro e massacrada por um poderoso exército até a morte do último de seus 30 mil habitantes, em 5 de outubro de 1897. O filme conta o massacre de Canudos a partir de um canhão inglês, apelidado pelos sertanejos de "A MATADEIRA", que foi transportado por vinte juntas de boi através do sertão para disparar um único tiro.
- O mercado de notícias (94') (de Jorge Furtado, 94 min, cor, 2013, 10 anos)
Documentário sobre jornalismo e democracia. O filme traz os depoimentos de treze importantes jornalistas brasileiros sobre o sentido e a prática de sua profissão, o futuro do jornalismo e também sobre casos recentes da política brasileira. O surgimento do jornalismo, no século 17, é apresentado pelo humor da peça "O Mercado de Notícias", escrita pelo dramaturgo inglês Ben Jonson em 1625. Trechos da comédia de Jonson, montada e encenada para a produção do filme, revelam sua espantosa visão crítica, capaz de perceber na imprensa de notícias, recém-nascida, uma invenção de grande poder e grandes riscos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário