O samba original de Pedro Miranda na Caixa Cultural

Foto: Divulgação
Oitava atração do Samba de Bamba, o carioca se apresenta dia 25 de outubro, com repertório eclético

Cantor, compositor, percussionista e ator, Pedro Miranda é o oitavo convidado do projeto musical Samba de Bamba, dia 25 de outubro, às 20h, no Teatro da Caixa Cultural. O projeto, com patrocínio da Caixa, realiza, até dezembro, uma série de dez shows com os expoentes da nova geração do samba brasileiro. Os ingressos têm preços populares, a partir de R$ 10 (serviço abaixo).

Acompanhado de Rafael Mallmith (violão de sete cordas), Eduardo Neves (sopros), Luís Barcellos (cavaquinho e bandolim), e do percussionista Beto Cazes, o carioca apresenta repertório que mescla sambas de sua memória afetiva com músicas autorais. Vai mostrar ao público as canções gravadas no seu mais recente disco Samba Original (2016) e relembrar alguns sambas dos seus dois primeiros álbuns: Coisa com coisa (2006) e Pimenteira (2009). Esse último, aliás, foi considerado por Caetano Veloso como uma coleção de obras-primas. 


Pedro completa a seleção musical com “A razão dá-se a quem tem” (Noel Rosa, Ismael Silva e Francisco Alves, 1933), “Amanhã eu volto” (Antonio Almeida e Roberto Martins, 1942), “Batuca no chão” (Ataulfo Alves e Assis Valente, 1944), “Lola Crioula” (Geraldo Babão, 1970), “Meu pandeiro” (Luiz Gonzaga e Ari Monteiro, 1947), “Imitação da Vida” (Batatinha) entre outros.
 
Cria da noite da Lapa, pandeirista e parceiro de Teresa Cristina no pioneiro grupo “Semente”, além de integrante do “Samba de Fato”, Pedrinho, como é conhecido no meio artístico, surpreendeu a todos em Pimenteira (2009) ao lançar apenas sambas inéditos. Para o escritor e biógrafo da música brasileira Ruy Castro, o músico é a prova de que o samba tem um grande passado pela frente. “Todo dia ele nos surpreende com as grandes novidades de 1933, 1947, 1952 ou 1966, sem esquecer uma ou duas maravilhas de 1972 ou 1984”, comenta. Ele elogia a exigência e a abrangência do repertório que, segundo Castro, “só inclui sambas passíveis de eternidade”.

Serviço:
Projeto “Samba de Bamba”, com Pedro Miranda
Terça-feira, 25 de outubro, às 20h
Teatro da Caixa Cultural: Av. Alfredo Lisboa, 505 – Praça do Marco Zero
Informações: (81) 3425-1915
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia) – à venda a partir das 10h do dia do show na Caixa Cultural 

Capacidade: 97 lugares | Duração: 90 minutos | Classificação: Livre

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DORITOS® Rainbow e Rede Filantropia promovem webinar GRATUITO sobre os principais impactos da COVID-19 nos aspectos legais e na captação de recursos das organizações do Terceiro Setor

José Mário Austregésilo vai falar sobre o Rei do Baião no Outras Palavras desta segunda-feira, 29

Prefeitura do Recife anuncia autorização para eventos no modo drive-in na Capital pernambucana