domingo, 2 de fevereiro de 2014

Perfil do Artesão: José Alves de Olinda

José Alves de Olinda. Foto: Divulgação
Por Gianfrancesco Mello

O artesanato pernambucano com suas variedades de tipos, formas, cores e costumes, dá visibilidade significativa à arte popular, formando um patrimônio cultural já consagrado em todo o Brasil. Os artesãos locais são conhecidos pela qualidade e criatividade em suas peças. É o caso de José Alves da Cruz. Ele nasceu no Recife no dia 24 de junho de 1953 e, quando veio ao mundo, sua mãe disse que o nome dele seria João Batista. No entanto, seu avô pediu para colocar o mesmo nome dele, ou seja, José Alves. O registro, de fato, ocorreu aos sete anos.

“Desde menino, eu via meu pai fazendo aqueles artesanatos com coco ou lata de óleo... Aquilo despertou em mim o desejo de fazer arte. Comecei com um canivete fazendo carinhas nas bananeiras e em outras árvores que tinham o tronco mais mole. Minha mãe até dizia que galho nenhum parava quieto na minha mão”, lembra.

Saci-Pererê de Madeira com 60 cm de altura
Aos 17 anos, José ficou conhecido como Zé Alves de Olinda e foi trabalhar em uma galeria de arte na praia de Boa Viagem. “Eu fiquei na galeria de dona Sílvia Coimbra e foi lá que conheci Nhô Caboclo. Logo no início, gostei demais do trabalho dele. Certo dia, comecei a fazer os meus próprios bonecos e dona Sílvia me colocou para ajudar o Nhô. Depois, Nhô faleceu e dona Sílvia falou que eu deveria continuar, pois era um discípulo dele. Foi assim que continuei até hoje.”

Quando se mudou para Olinda, o artesão começou a assinar suas peças como Zé Alves de Olinda e há 33 anos que vive somente da arte, e já ensinou tudo aos filhos e sobrinhos. “Meus trabalhos percorrem o mundo todo e, por isso, conheci países como França, Portugal e Suíça.” O atelier de José Alves de Olinda fica na Rua Velha, 193, Águas Compridas, em Olinda.

José Alves de Olinda

3451 6336 / 8853 4388

Nenhum comentário:

Postar um comentário