Bazar solidário irá reverter renda em prol de moradores de rua assistidos pelo Projeto Rua do Bem

 


 
 

Começa no último dia (17) e se estende por todo o mês de novembro, a segunda edição do Bazar pro Bem, que, este ano, visa arrecadar fundos para beneficiar cerca de 2 mil moradores de rua atendidos pelo Projeto Rua do Bem (@projetoruadobem), desenvolvido pela pastoral social da Paróquia de Nossa Senhora da Piedade, na rua do Lima, em Santo Amaro, e comunidades do entorno. O Bazar acontece na Praça do Derby, nº 73. Inicialmente, o evento havia sido pensando para acontecer no próximo final de semana, de sexta a domingo, mas devido a pandemia do coronavírus e para evitar aglomeração, a organização resolveu estender e atender diariamente, de preferência com horário marcado previamente através do inbox no @bazarprobem.

 

A iniciativa é das amigas, a administradora Mary Berenstein, a cantora Letícia Bastos e sua mãe, Ana Lucia Caribé, que, pelo segundo ano consecutivo, resolveram se unir em prol dessa causa. Na ocasião, estarão à venda roupas, sapatos, bolsas e acessórios de diversas marcas doadas pelas próprias organizadoras e por amigas delas que resolveram desapegar e contribuir com a causa nobre. Toda a renda arrecadada com a venda dos produtos, que tem preços bem em conta, será revertida para compra de alimentos, roupas e material de higiene que serão doados para os moradores de rua numa espécie de Natal na rua.

 

Na primeira edição do Bazar pro Bem, no ano passado, toda a renda arrecadada foi doada ao Hospital do Câncer. “Nossa idéia desde o início foi dar um pouco de amparo a pessoas que estão desprotegidas. Resolvemos nos unir e pedir ajuda aos amigos que contribuem com suas doações. São artigos que estão em bom estado de uso e até mesmo outros que foram adquiridos e sequer foram usados. É uma maneira que encontramos de ajudar o próximo e ainda estimularmos a cultura do desapego”, considera a voluntária e organizadora do Bazar, Mary Berenstein.      

 

O Projeto Rua do Bem que distribui alimentos para pessoas em situação de rua foi iniciado em abril deste ano, no início da pandemia. No começo eram distribuídas apenas 60 marmitas diariamente, mas a corrente do bem foi aumentando e hoje já são mais de 100 voluntários e mais de 63 mil marmitas entregues. Além dos moradores de rua do entorno, a iniciativa atende as comunidades da Ilha do Joaneiro, Coelhos, Nova Descoberta, Ibura, Rosarinho, Favela do Papelão, Coque, Roda de Fogo, entre outras.  

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACÚSTICO IMAGINAR

“CONFISSÕES URBANAS” UM EXPERIMENTO CÊNICO DIGITAL

FESTIVAL DE TEATRO DE IGARASSU ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS