‘WILLOW CRIED POWER’ (WILLOW GRITOU PODER), único documentário brasileiro com temática LGBTI+ a concorrer no maior festival de curtas-metragens do mundo

 

 


 

‘WILLOW CRIED POWER’,  curta-metragem produzido entre setembro e outubro de 2020 durante a pandemia do COVID-19, dirigido pela dupla João Izzidio e Willow Ximenes, tem seleção confirmada no maior festival de curtas-metragens do mundo - My RØDE Reel 2020 Short Film Festival. O documentário independente concorre em 5 categorias, sendo uma delas a People’s Choice, que precisa de votação do público para determinar os vencedores. É possível votar até o dia 21 de outubro no site da RØDE [vote aqui] e o resultado estará disponível a partir do dia 21 de novembro de 2020, podendo chegar a US$ 1 milhão em prêmios.

De acordo com a ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transsexuais), é imprescindível pontuar que entre janeiro e abril de 2020 o número de assassinatos de pessoas trans e travestis aumentou em 48% em relação ao mesmo período dos anos anteriores, fazendo com que o Brasil continue a ser o país que mais mata pessoas trans e travestis no mundo. Assim, o documentário, protagonizado pela também diretora e produtora Willow Ximenes, narra a trajetória de uma travesti recifense, que em seus 20 anos de idade está sobrevivendo à pandemia de COVID-19 num Brasil em crise, enquanto se empodera de suas potencialidades, criando, dessa forma, novas possibilidades de futuro. A produção conta com uma equipe composta unicamente por pessoas LGBTI+, sendo elas: Dante Moraes (som), Jimmy Astley e Mauro Espindola (assistentes de produção). 

“Durante a pandemia acompanhei a situação da população trans e travesti em Pernambuco, então pude perceber o quão necessário era trazer esse tema para os holofotes”, afirma João Izzidio, diretor e produtor do filme. “Não pensei duas vezes em aceitar o convite de João e, apesar de minha inicial resistência em protagonizar o filme, entendi como minha trajetória possui poderoso caráter de referência e inspiração para outras travestis e mulheres trans”, conclui a protagonista Willow sobre sua estreia como diretora.

Gay, João Izzidio tem 9 anos de carreira como produtor e diretor, divididos em audiovisual, música e inovação. Além disso, foi produtor executivo do festival No Ar Coquetel Molotov e recentemente coordenador do Porto+, programa de inclusão de pessoas LGBTI+ do Porto Digital. Já Willow Ximenes, travesti que dirige, produz e protagoniza a sua primeira obra cinematográfica, atua há 4 anos com produção de eventos e projetos sociais, além de ser escritora e graduanda no curso de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

 

Serviço:

“WILLOW CRIED POWER”, 2020, Brasil

Assista e vote: https://www.myrodereel.com/watch/11090

Dirigido por João Izzidio e Willow Ximenes.

Produzido por João Izzidio e Willow Ximenes.

Som por Dante de Moraes.

Assistência de Produção por Mauro Espíndola e Jimmy Astley.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACÚSTICO IMAGINAR

“CONFISSÕES URBANAS” UM EXPERIMENTO CÊNICO DIGITAL

FESTIVAL DE TEATRO DE IGARASSU ESTÁ COM INSCRIÇÕES ABERTAS