Comédia “Quem Prospera Sempre Alcança” chega ao Recife com entrada franca

Fotos: João Caldas

Com linguagem do circo-teatro e da comédia de costumes, a peça da Próspera Trupe de Teatro aborda a realização dos sonhos em tempos de desemprego e empreendedorismo

Recife é a próxima cidade a receber o espetáculo musical de rua “Quem Prospera Sempre Alcança”. Após passar por cidades como Belém, João Pessoa e São Paulo, a comédia terá temporada de quatro apresentações nos dias 4, 5 e 6 de setembro no Compaz Ariano Suassuna e Eduardo Campos, no Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e na Praça do Carmo, no Centro do Recife. Todas as apresentações têm classificação etária livre e são gratuitas.

A peça, que tem autoria e direção de Leonardo Cortez, direção musical de Jonatan Harold e figurinos e cenário assinados por Márcio Araújo, tem duração de 45 minutos. Ela aborda, de forma humorada, a determinação dos brasileiros em encontrar novas opções de trabalho por conta própria e pequenas noções de educação financeira, como a importância do planejamento e da organização para a realização dos nossos sonhos.

Patrocinada pela Visa, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura do Ministério da Cidadania e do Governo Federal, a peça está se apresentando por 10 cidades em diferentes estados até outubro, sempre de forma gratuita. “Em 2018, o Brasil bateu recorde em número de novos microempreendedores, o que reforça a importância de apoiarmos um espetáculo como esse. As mensagens transmitidas, como a importância do planejamento e do gerenciamento das receitas e despesas, são extremamente relevantes para o crescimento dos negócios deste público”, explica Sabrina Sciama, Diretora de Comunicação da Visa do Brasil.

O espetáculo começa com a entrada de dois técnicos de uma companhia teatral encarregados de montar o palco para a apresentação que será feita no local. Eles fazem as vezes de operários e mestres de cerimônia e evocam situações sobre empreendedorismo a partir de três outras histórias. Na primeira delas, duas fãs de uma dupla sertaneja decidem, na fila para entrar no show, como vão gastar o dinheiro que juntaram com muito sacrifício. Na segunda, dois vendedores ambulantes resolvem fazer uma atrapalhada sociedade e na terceira, um falido dono de boteco recebe a visita de uma inusitada fada-madrinha.

“Falar sobre empreendedorismo no Brasil atual é falar sobre o caminho pelo qual cada vez mais brasileiros estão optando por seguir em função da crise econômica. Ao mesmo tempo, ter acesso aos mecanismos de desenvolvimento de novos negócios é a possibilidade real de concretização dos sonhos profissionais. É um espetáculo que inclui dicas de educação financeira, principalmente ligadas ao empreendedorismo, sem a pretensão de ser didático, que apresenta, com muito humor, situações e ciladas que qualquer um pode se meter por conta da inexperiência nos negócios e na vida pessoal”, conta o autor e diretor Leonardo Cortez.

A encenação busca as raízes do teatro popular, do circo-teatro e da comédia de costumes. “Artisticamente, pesquisei sobre a linguagem teatral do espetáculo de rua, me debruçando sobre a obra de Dario Fo e os trabalhos da Cia. La Mínima”, acrescenta.  O humor é elemento de aproximação direta com o público, conquistado através de um texto ágil, contemporâneo e de comunicação franca. Novos personagens são evocados pelos dois principais a partir do uso de máscaras e acessórios. A participação dos espectadores é solicitada em brincadeiras interativas que se desdobram enquanto o público é testemunha da construção de uma peça enquanto assiste a outra.

Essa metalinguagem é uma forma de reflexão tanto para o espectador comum sobre o fazer teatral como para o próprio artista, que precisa empreender em seu ofício. “O artista via de regra é empreendedor de sua própria obra e precisa entender dos mecanismos de produção cultural para levar sua pesquisa ao público. O estabelecimento de parcerias, tão comum no mundo dos negócios, se faz absolutamente necessário em tempos de crise econômica e cultural”, explica o diretor.

Os figurinos, cenários e adereços são inspirados nas companhias teatrais itinerantes. “Elas fazem até hoje o popular teatro mambembe de imediata identificação popular e que tem nas restrições orçamentárias o seu mote de beleza e originalidade. Temos assim, a sobreposição de tecidos e o reaproveitamento de materiais, numa estética que remete ao circense. A música, originalmente composta para o espetáculo, dialoga com gêneros populares como o sertanejo e o samba de raiz, em números interativos. A ideia é que o público saia do espetáculo cantando e pensando nos próximos passos para a realização dos seus sonhos”, revela.

FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Leonardo Cortez. Elenco: André Santos e Djair Guilherme. Assistência de direção: Rogerio Barsan. Composição e direção musical: Jonatan Harold. Cenário e figurino: Márcio Araújo. Iluminação: Ricardo Bueno. Coreografia: Fabiana Santos. Fotografia: João Caldas F°. Direção de produção: Sonia Kavantan. Patrocínio: Visa. Apoio: Instituto Federal de Pernambuco e Compaz. Realização: Kavantan & Associados – Projetos e Eventos Culturais, Ministério da Cidadania e Governo Federal – Lei de Incentivo à Cultura.


Serviço - Quem Prospera Sempre Alcança, de Leonardo Cortez
Entrada: gratuita
Classificação: livre
Duração: 45 minutos
Com interpretação em Libras em todas as apresentações.

Data: 04/09 – quarta-feira (duas apresentações)
Local: Compaz Ariano Suassuna - Av. Gen. San Martin, 1208 - Cordeiro
Horário: 14h
Local: IFPE Campus Recife - Av. Prof. Luís Freire, 500 - Cidade Universitária
Horário: 19h30

Data: 05/09 – quinta-feira
Local: Compaz Eduardo Campos - Av. Aníbal Benévolo, S/N - Alto Santa Terezinha
Horário: 14h

Data: 06/09 – sexta-feira
Local: Praça do Carmo – Santo Antonio
Horário: 10h

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Artistas Digitais: Laís Xavier

Bairro da Várzea da exemplo de solidariedade durante a pandemia do Covid-19

Mais de 260 filmes Pernambucanos gratuitos para assistir em casa