sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Espaço Cultural Bodega da Yá: cultura popular e inclusão social

Coco da Yá. Foto: Divulgação
Sambadas de Coco; mostras audiovisuais com debates; oficinas de iniciação em ritmos e danças; rodas de contação de histórias com temáticas afro; registro fotográfico de memória cultural. Com essas ações foi desenvolvido o Projeto de Manutenção das Atividades do Espaço Cultural Bodega da Yá, que celebra, neste sábado (25), a sua mostra de resultados no Terreiro Ilê Axé Oyá Oníra, na comunidade da Portelinha, periferia de Goiana, a partir das 19h. Haverá uma exposição fotográfica e uma grande sambada de coco com a Yalorixá Dona Nininha, fundadora do terreiro.

O Coco da Yá acontece sempre no último sábado de cada mês e no dia 25 terá uma edição mais do que especial, já que marcará a abertura das atividades culturais populares de Goiana e será precedido pelo show do Coco de Baé (da cidade de Tracunhaém) e pela Exposição fotográfica com registros das expressões culturais da periferia de Goiana, como caboclinhos, maracatus, rodas de coco, entre outras.

Mas o registro fotográfico foi apenas uma das ações desenvolvidas pelo Projeto de Manutenção das Atividades do Espaço Cultural Bodega da Yá. Durante cinco meses foram realizadas oficinas e ações em linguagens diversas (dança, música, literatura, fotografia, cinema) com o objetivo de envolver crianças das localidades da Nova Goiana, Portelinha e Mutirão, áreas com os menores IDHs da cidade de Goiana, e cujas famílias, em sua maioria, são de trabalhadores rurais, ainda com altos níveis de analfabetismo, o que torna muitos dos jovens dessas comunidades vulneráveis socialmente. São pessoas que raramente têm acesso a bens culturais e que podem ver nas atividades desenvolvidas no Espaço Cultural Bodega da Yá a possibilidade de se afastarem de situações de criminalidade e violência. Essas crianças e adolescentes vivem em áreas com grande índice de violência doméstica, exploração do trabalho infantil, além não haver nenhum equipamento oficial de práticas de cultura ou entretenimento como quadras esportivas, centros culturais, cinema, teatro, biblioteca, livraria, etc. Acredito que o projeto é uma centelha de esperança para a comunidade em relação à possibilidade de enriquecimento cultural a partir da valorização e redimensionamento simbólico da própria cultura e do espaço que habitam”, afirma Philippe Wolney, o coordenador geral do Projeto de Manutenção das Atividades do Espaço Cultural Bodega da Yá.

Apesar de toda a importância das atividades desenvolvidas no Espaço Cultural, para Dona Nininha, Yalorixá do Ilê Axé Oyá Oníra, ainda são grandes as dificuldades enfrentadas para que o espaço tenha o reconhecimento das autoridades: Um dia as autoridades vão perceber que a gente não está de brincadeira, que a gente trabalha para ajudar a comunidade. Eu me sinto bem e me identifico com esse povo, sou muito respeitada. É muito gratificante você trabalhar o mês todinho com essas crianças e depois ver essas crianças sorrindo.

O esforço de Dona Nininha é perene, não apenas em alguns meses do ano, por isso o reconhecimento das instâncias municipais, governamentais e da própria sociedade, certamente contribuirá muito para o desenvolvimento da periferia de Goiana, através de projetos que valorizam a cultura local e envolvem os jovens das periferias, oferecendo a eles a oportunidade de ampliar a visão de mundo através da arte e da cultura, daí a importância do incentivo do Funcultura e Governo do Estado ao Projeto de Manutenção das Atividades do Espaço Cultural Coco da Yá, produzido pelo grupo Coco da Yá e com parceria do Iapôi Cineclube, Silêncio Interrompido, Ponto de Cultura Aláfia e Porta Aberta.

Confira as oficinas do Projeto de Manutenção das Atividades do Espaço Cultural Coco da Yá:

Oficina de iniciação em ritmos e danças – ministrada pelo percussionista Leandro Silva, sob orientação da Yalorixá, coquista e matriarca Dona Nininha para crianças da comunidade. São aprendidos toques festivos, ritmo do coco, maracatu e ciranda, através da percussão de instrumentos como bombos, mineiros, caixas, entre outros.

Cinedebates - Essas ações de formação de público para cinema são realizadas pelo Iapôi Cineclube, de Goiana, e de livre acesso e classificação, sendo focadas para o público infantil da comunidade,
criando novas perspectivas e a diversidade do olhar através das temáticas abordadas nos filmes exibidos;

Roda de contação de histórias com temáticas afro -  ação de formação de leitores com o poeta e arte educador Sandro Gonzaga, destinada a crianças e jovens em idade escolar, com o intuito de estimular a leitura e a expressão literária e amenizar o baixo rendimento e a desistência escolar;

Registro da memória cultural de Nova Goiana – registro fotográfico de expressões como caboclinhos, maracatus, ciranda, coco de roda, quadrilhas, etc. Os jovens das comunidades da Portelinha, Nova Goiana e Mutirão auxiliaram o fotógrafo Ernesto Rodrigues na obtenção dessas imagens, como guias e mediadores dos processos culturais e dinâmicas das comunidades. As imagens obtidas desse processo irão compor a exposição fotográfica.

História – O Espaço Cultural Bodega da Yá reúne o Terreiro Ilê Axé Oyá Oníra (casa do sagrado) mais a Bodega da Yá (espaço para a festa, onde é realizado o Coco da Yá). A Yalorixá e Mestra Coquista Zenilsa Cavalcanti do Nascimento, popularmente conhecida como Dona Nininha, desde 1981 realiza sambadas de coco em homenagem a seu mestre espiritual Zé Filintra. Os eventos, realizados sazonalmente, durante alguns toques de jurema no Ilê Axé Oyá Oníra sempre atraíram brincantes de coco e demais pessoas da comunidade em geral, até ganhar visibilidade em comunidades circunvizinhas. Há cerca de 10 anos, Dona Nininha e seus parceiros e filhos passaram a realizar Sambadas do Coco da Yá, nome com o qual ela batizou seu grupo de coco. As sambadas são celebrações consolidadas no calendário cultural do bairro da Portelinha, comunidade onde se encontram cerca de 85% das tradições e brincadeiras populares da cidade de Goiana, atraindo pessoas não só das comunidades mais próximas, como também de cidades vizinhas.

Serviço:
Exposição Fotográfica + Coco de Baé (da cidade de Tracunhaém) + Coco da Yá (+ Resultados do Projeto de Manutenção de Atividades, abertura das atividades culturais 2014)
Sábado (25), às 19h;
Espaço Cultural Bodega da Yá, (Terreiro Ilê Axé Oyá Oníra), Portelinha, Goiana,
Aberto ao público
Informações: facebook.com/EspacoDaYa

Nenhum comentário:

Postar um comentário